HORA-ATIVIDADE: ESPAÇO PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES NAS ESCOLAS DA REGIONAL OURO PRETO DO OESTE (RO)

  • Soeli Fagundes de Almeida Mercês (69)99202-9729
  • Hilda Aparecida Linhares da Silva Micarello Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
Palavras-chave: Política Pública. Hora-atividade. Formação Continuada de professores.

Resumo

O artigo apresenta a pesquisa desenvolvida no âmbito do Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação (PPGP) da Universidade Federal de Juiz de Fora (CAEd/UFJF). Nela é abordada a implementação da hora-atividade no âmbito da Lei Federal nº 11.738/08 quando reorganiza a jornada docente. Teve como objetivo contribuir com a reflexão acerca das políticas para a formação de professores. Caracterizou-se como estudo de caso, tendo como instrumentos de pesquisa a análise documental, realização de grupos focais e pesquisa bibliográfica. O aporte teórico buscou articular reflexão sobre políticas públicas (CONDÉ, 2013; LOTTA, 2010; MAINARDES, 2006) com reflexões acerca da formação continuada concebendo a escola como lócus formativo (GATTI, 2008, 2011; NÓVOA, 1992; IMBERNÓN, 2010; TARDIF, 2014). O estudo apontou possibilidades para se efetivar a formação em serviço, contudo revelou que a utilização da hora-atividade como espaço formativo apresenta dificuldades advindas de questões macro e micro estruturais.

Referências

BRASIL. Lei Federal nº 11.738, de 16 de julho de 2008. Disponível em:< www.planalto.gov.br/ccivil03/ato2007-2010/2008/lei/l11738.htm>. Acesso em: 05 de dez. 2016.

___. Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em:< https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: 29 de maio 2016.

___. Plano Decenal de Educação Para Todos. - Brasília: MEC, 1993 – Edição Escolar. Versão acrescida 136 p.

___. Supremo Tribunal Federal. Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) nº 4.167. Brasília: 2011. Disponível em:< http://redir.stf.jus.br/paginadorpub/paginador.jsp?docTP=AC&docID=626497>. Acesso em: 23 de ago. 2017.

___. Ministério da Educação. Resolução/CNE/CP/02/2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior e para a formação continuada. Disponível em:< portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002.pdf/ >. Acesso em: 22 de set. 2017.

BURGOS, Marcelo; CANEGAL, Carolina. Diretores escolares em um contexto de reforma da educação. Revista Pesquisa e Debate em Educação, V.1, N.1. 2011.

CONDÉ, Eduardo Salomão. Abrindo a caixa: dimensões e desafios na análise de Políticas Públicas. Responsabilização na Educação. Disponível em: . Acesso em: 05 de maio 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GATTI, Bernardete Angelina; BARRETTO, Elba Siqueira de Sá; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo de Afonso. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO, 2011. 300 p.

___ (Coord.) Professores do Brasil: impasses e desafios. – Brasília: UNESCO, 2009, p. 294.

___. Grupo focal na pesquisa em ciências sociais e humanas. Brasília: Líber Livro 2005. Disponível em: <
https://edisciplinas.usp.br/mod/resource/view.php?id=1103462.> Acesso em: 01 de nov. 2017.

IMBERNÓN, Francisco. Formação continuada de professores. Trad. Juliana dos Santos Padilha. Porto Alegre: Artmed, 2010.

___. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. Trad. Silvana Cobucci Leite. 9. ed. São Paulo: Cortes, 2011.

LOTTA, Gabriela Spanghero. Burocracia e implementação de políticas de saúde: os agentes comunitários na Estratégia Saúde da Família. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2010.

MAINARDES, Jefferson. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educ. Soc., Campinas, vol. 27, n. 94, p. 47-69, jan. /abr. 2006.

NÓVOA, Antônio. (Coord.). Os professores e a sua formação. Trad. Graça Cunha, Cândida Hespanha, Conceição Afonso e José Antônio Sousa Tavares. Lisboa, Portugal: Dom Quixote, 1992.

___. Os professores e o “novo” espaço público da educação. In: TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude (Org.). O ofício de professor: história, perspectivas e desafios internacionais. Trad. Lucy Magalhães. 5 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

RONDÔNIA. Governo do Estado. Lei Complementar n. 680, de 07 de setembro de 2012. Disponível em:< http://www.diof.ro.gov.br/doe/07_SETEMBRO_ESPECIAL.pdf.>. Acesso em: 25 jan. 2016.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Tradução Francisco Pereira. 17ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

TORRES, Rosa María. Reformadores e docentes: a mudança educacional presa entre duas lógicas. Disponível em:< http://educacaointegral.org.br/wp-content/uploads/2014/01/reformadores-e-docentes_torres_rm_traduzido_2000.pdf.> Acesso em: 25 jun. 2017.
Publicado
2019-12-14
Seção
Artigos